Arquivo para ‘Artigos’ Categoria

As Principais Soluções dos IDC’s

A Tecnologia da Informação e Comunicação pela Ótica dos InternetDataCenter.

A Tecnologia da Informação e Comunicação pela Ótica dos InternetDataCenter.

Os InternetDataCenters estão no apogeu de sua glória no mundo corporativo. Entenda o porquê:

Até pouco tempo atrás era difícil explicar para um não profissional de TI o que era um data center ou um IDC. Porém, hoje os IDC são celebrados com uma das peças mais importantes do desenvolvimento tecnológico humano.

Praticamente tudo que existe na Internet está armazenado dentro de um IDC (InternetDataCenter), com seus milhares de servidos, ligados a links de fibra ótica, dentro de prédios seguros, distribuídos em toda parte do Globo terrestre.

A SoftHost trabalha desenvolvendo e comercializando estes serviços de IDC’s para mais de 6.000 clientes em todo o Brasil. Estamos preparados para as principais tendências de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), com soluções especiais que atendem integralmente essas tendências.

Veja agora as principais tendências da TIC e as principais soluções dos IDC’s para o mercado corporativo ou, se preferir, veja a apresentação de Power Point com o resumo de tudo:

Segundo Marcos Andrade, são essas As 10 Principais Tendências na Internet:

  1. Geolocalização
  2. Conteúdos personalizados
  3. Construção colaborativa
  4. Recomendação
  5. Mobilidade
  6. Multi plataforma
  7. Conexão com redes sociais
  8. Realidade aumentada
  9. Social Commerce
  10. Interação entre On e Offline

Já as Principais Soluções nos IDC:

  1. Corrida para a Cloud Computing: Mais conteúdos livres dos computadores. Mais sistemas para organizar.
  2. Aplicações nas Nuvens: Mais máquinas virtualizadas. Menos aplicações das redes internas.
  3. Projetos SaaS: O Software como Serviço, tende a ser mais desenvolvedores em maiores parcerias com IDC’s.
  4. Streaming: Maior necessidade de estruturas rápidas e estáveis para:– Webconferências;

    – Eventos Ao Vivo;

    – Videos On Demand;

    – Retransmissões: Emissoras de TV e Rádio.

  5. Segurança: Quanto maior a dependência da nuvem, maior a necessidade de sigilo e confiabilidade dos dados.

Saiba mais sobre o Plano FMS Wowza da SoftHost

wowzaUma Plataforma Única de Transmissão de Vídeo Gravado e Ao Vivo

Entre em contato com a nossa área comercial e peça seu orçamento de Plano FMS com Wowza.

Entre em contato com a nossa área comercial e peça seu orçamento de Plano FMS com Wowza.

O Wowza já está ativo para os clientes de streaming da SoftHost desde o início de 2011 e agora mostramos os seus principais pontos fortes

Graças a explosão dos smartphones e da popularização do acesso 3G, a tendência atual é a utilização de tecnologias de convergência digital, principalmente no quesito mídias digitais via Web, o mercado tem exigido uma plataforma única. Foi pensando nesta praticidade que a SoftHost optou pelo Wowza Media Server como solução de video streaming. tanto para VOD como para Live Streaming.

1) A melhor plataforma para VOD (Video on Demand) Streaming

Agora, através do Plano FMS, você poderá usar o Wowza Media Server. Seus arquivos de vídeo (on demand) serão visíveis em qualquer sistema operacional, seja ele, Windows, Linux ou Macintosh. O seu streaming de vídeo será transmitido simultaneamente à ilimitados usuários, com qualidade que você quiser (1500kbps ou 150kpbs, por exemplo) e, principalmente para vários tipos de players como:

  • Flash RTMP & HTTP Dynamic Streaming
  • Silverlight Smooth Streaming
  • QuickTime RTSP Streaming

mobile2) Mobile Streaming

Contratando o Plano FMS com o Wowza você poderá trabalhar no padrão de compressão H.264 baseado em MPEG4 Part 10 ou AVC (Advanced Video Coding) pronto para smartphones como o iPhone, Blackberry, o Android e outras plataformas móveis como os tablets iPad e Sansung Galaxy, assim como a visualização do formato de arquivo 3GP para smartphones. Além disso, possui suporte multi-taxa de bits adaptável para streaming em HTML5:

  • iPhone/iPad/iPod Touch Devices
  • 3GP (RTSP) Phones
  • Live Streaming
  • Thousands of sites use Wowza for live streaming.

3) Plano FMS Wowza

Claro que o Wowza sozinho não faz milagres. Além dos servidores FMS da SoftHost, é necessário uma boa banda larga tanto para o upload do sinal, como para o download. Através deste conjunto, você terá a liberdade para que cada projeto alcance resultados esperado. No Plano FMS Wowza, onde você poderá escolher livremente a qualidade de vídeo (Kbps) assim como limitar (ou não) a quantidade de usuários por canal. Finalmente podemos concluir que:

SoftHost Servers FMS + datacenter no Brasil + Wowza + Liberdade + Criatividade = Sucesso em Streaming

Cloud Computing: Uma visão do cenário atual e futuro

O cenário atual e futuro do Cloud Computing no Brasil e os novos modelos de negócios criados por ele.

Ainda há muito a ser feito, só estamos no início, mas a TI nunca mais será igual depois da realidade das nuvens.

Ainda há muito a ser feito, só estamos no início, mas a TI nunca mais será igual depois da realidade das nuvens.

Desde o início de 2010 a SoftHost fornece comercialmente infraestrutura de cloud para seus clientes, mas para isso foram preciso muitas pesquisas, testes e adequações para hoje ter uma nuvem segura, estável e veloz. Depois de um ano e meio atendendo as MPEs e as PMEs, veja o balanço que fazemos desta tecnologia e os avanços dela na atualidade:

O Brasil ainda está na primeira fase de adoção da cloud computing, mas ano após ano essa porcentagem subirá até que 100% dos dados e das aplicações das empresas, ou quase isso, estejam hospedadas em nuvem.

Uma empresa está pronta para a realidade do cloud computing depois de terem a real consciência de sua eficácia. Para isso é preciso buscar a simplicidade, a eficiência e a segurança de dados na aplicação escolhida. Por fim, é preciso buscar um data center para que a aplicação seja testada, ajustada e por fim implantada.

Apesar de ser um evento bastante novo, o advento da nuvem computacional já é uma preocupação na gestão das PMEs (pequenas e médias empresas) onde o foco está muito mais na capacitação das diversas áreas da empresa para lidarem com a nuvem do que em questões tecnológicas propriamente ditas.

E a adoção do cloud computing afetará para sempre toda a atual cadeia produtiva da TI, consequentemente criará novos perfis profissionais e a extinção de outros, principalmente das áreas operacionais, como o gerente de projetos que perderão a importância. Já outros profissionais passarão a ter maior importância onde até bem pouco tempo não existiam, por exemplo, gerentes de produtos, com foco nos produtos baseados em nuvem que a empresa utiliza.

Como cenário futuro, teremos a consolidação do cloud computing como plataforma corporativa, que ajudará as empresas de todos os portes com o “apagão de mão-de-obra” na área de TI, já que o outsourcing das aplicações e da nuvem consequentemente diminuirá o quadro de profissionais dentro das empresas.

Outro conceito que cairá é da própria infraestrutura dos data centers para a nuvem computacional. Data centers gigantes são coisa do passado. A tendência são as empresas se sentirem mais confortáveis ao pulverizarem seus dados e aplicativos em mais de um local, diminuindo  os riscos do outsourcing de seus negócios. Segundo Chuck Hollis, vice-presidente global da EMC, em entrevista ao ITWire.com, disse que “a busca por economias de escala através da construção de imensos data centers é uma maneira ultrapassada de pensar no armazenamento de dados e infraestrutura como serviço.”

A última fase na implantação da nuvem numa organização é a adaptação do acesso aos usuários. Graças a proliferação dos gadgets como smartphones, tables, os usuários sofrerão menos com estas mudanças.

Como nem tudo é notícia boa… o grande desafio da relidade da nuvem computacional no Brasil é a própria infraestrutura de telecomunicação, que precisa melhorar. Já que elas prevêem US$ 39 bilhões em 2016 até 2016 de receita da venda de nuvens móveis corporativas,

Agora, a grande consequência do consolidação da nuvem está nos futuros modelos de negócios que serão possíveis, que simplificarão, agilizarão e aumentarão a oferta de opções no atual mercado por aplicações e as software houses que não conseguirem levar suas aplicações para a nuvem, se tornarão obsoletas e se extinguirão naturalmente. A adoção de cloud computing, por parte dos desenvolvedores, permitirá a eles a oportunidade de desenvolver vendas casadas com a abertura de suas APIs (Application Programming Interfaces) para empresas como a SoftHost, que já fazem parcerias com desenvolvedores no modelo SaaS. Tudo para tornar possível compartilhar vendas oriundas de serviços em nuvem.

Se você tem interesse em desenvolver aplicações para cloud computing ou quer colocar suas aplicações em nuvem. Fale com a SoftHost. Poderemos te auxiliar nesta tarefa.

Em breve o jornal impresso será como o VHS

É simplesmente uma questão de ciclo de vida dos produtos.

Ciclo de vida dos produtos

Na administração de empresas e, mais precisamente, no marketing, estudamos que os produtos e serviços seguem uma curva elíptica de vida, chamada de Ciclo de Vida dos Produtos, onde ele passar por quatro etapas de evolução: Introdução, Crescimento, Maturidade e Declínio.

Ao analisar a notícia da AdNews – FT pode sumir com versão impressa em 5 anos, vemos que esta é uma tendência já profetizada por jornalistas como o Rosental Alves:

“é preciso reconstruir o jornal para a era digital, pois os modelos de negócios atuais já estão obsoletos” Observatório da Impresa (09/09/2008)

Se nos livrarmos da visão romântica de que “o jornal impresso não pode deixar de existir, devido a sua importância na comunicação”, veremos que apenas estamos diante vivendo a fase de declínio de uma tecnologia. O produto substituto realmente é a Web e os readers como o iPad e os próprios telefones celulares conectados a Internet.

O duro é que ainda encontro com editores, jornalistas e profissionais de mídia impressa totalmente avessos a esta evolução tecnológica ou analfabetos das novas tecnologias dispostos a afundar com o navio na curva da decida. Com certeza esta tendência se transformará em uma realidade cada vez maior e em breve o jornal impresso não existirá de forma impressa.

O custo que estas instituições terão para a mudança de paradigmas será muito grande e talvez as ações tardias para a modernização tornem-se praticamente irreversíveis. Todos os veículos impressos devem buscar a evolução e convergência de suas mídias, pois em breve o jornal impresso será como o VHS: uma peça de museu.

Licitação de TI é bom?

Oportunidade: Licitação para Desenvolvimento de Sites do Governo de Goiás

Um amigo meu da Secretaria Estadual de Cidadania e Trabalho do Governo de Goiás entrou em contato comigo para pedir ajuda. A Secretaria abriu licitação para empresas de desenvolvimento de sites e por mais incrível que pareça, está com dificuldade para achar empresas que participem da licitação.

O principal entrave não são os R$ 45.000,00 oferecidos, mas encontrar profissionais e empresas certificadas. Não basta, por exemplo, deter conhecimento em PHP. É preciso comprovar certificação em PHP.

O Edital pode ser conferido pelo site htt://cidadaniaetrabalho.goias.gov.br e ou para download diretamente pelo CONVITE N.º 002/2010 – SECT. Leia o edital, verifique se você tem as qualificações necessárias e, se você tiver interesse, entre em contato comigo que eu passarei a ficha de inscrição.

Normalmente, o profissional de TI que busca certificação está de olho na carreira pública ou oferta de grandes empresas de TI. Fora isso, o profissional, invariavelmente busca o conhecimento de forma informal como autodidata. As evoluções tecnológicas não acompanham velocidade da oferta de entidades certificadoras. Como buscar, por exemplo certificação em API para iPhone ou Android? Mesmo as grandes empresas de computação preferirão profissionais talentosos à apenas certificados.

Todo ano, centena de alunos se formam no SENAC com certificado de PHP, mas o problema é de comunicação entre eles e o Governo. Apesar do Portal ComprasNet (www.comprasnet.go.gov.br) tentar fazer esta ponte, comunicando licitações e qualificando a iniciativa privada à prestação serviços, as empresas de Tecnologia da Informação em Goiás ainda não tem cultura de buscar oportunidades no Governo.

Não é só uma questão de comunicação. É uma questão cultural e de interesse. Enquanto o Governo procura certificação (comprovação teórica), o mercado procura portfólio (comprovação prática) e empresas de TI procuram oportunidades no mercado (recompensa financeira). Através do portfólio de serviços já executados e pela quantidade empresas atendidas, as empresas de TI as empresa de TI se destacam. Fica de fora deste círculo de interesse o Governo. É mais fácil o Estado contratar o profissional certificado via concurso público, do que contratar uma empresa de TI.

Os governos poderiam mudar o critério de análise, pois dificilmente as empresas de TI pararão para o Governo que acha mais importante certificados de papel do certificados de competência no mercado através do portfólio. Sendo assim o ComprasNet continuará atendendo ao Governo de Goiás para a busca de empresas e profissionais operacionais, como manutenção predial, segurança, alimentação etc, menos TI.

E mesmo que finalmente haja empresas com profissionais certificados, ela vão querer Mas o Estado não fica refém desta situações e, voltando ao caso da Carta Convite N.º 002/2010 – SECT, caso não haja empresas suficientes para fazer a licitação, será feita a contratação direta do primeiro profissional que comprovar certificação.

Idéia, criatividade e inovação

A idéia é bem coletivo. Já a criatividade e a inovação são conseqüencias da idéia em ação.

Segundo a segundo, milhares de pessoas tem a mesma idéia interessantíssimas para a humanidade, mas que não vão servir absolutamente para nada se elas não partirem para a ação.

No primeiro segundo elas pensam: “Eureka, eu poderia inventar a cura para o câncer!!!” Mas no segundo seguinte elas são vencidas pela realidade da falta de conhecimento necessário para que as idéias se materializem (“Puxa, eu não sou médico nem cientista para fazer isso!“) ou pela própria falta de vontade, inércia, desejo de agir (“Sim, eu sei como fazer isso, mas… não vou fazer!“).

Somente com ação uma idéia pode evoluir, se materializar. Se há ação, a idéia evolui para a criatividade, que depois, se houver o conhecimento, ela evolui para a inovação.

Resumindo: uma IDÉIA + AÇÃO = criatividade ou inovação.

E qual a diferença entre as duas?

Criatividade é ter idéias para saídas de problemas ou ter idéias para entrar no santuário das artes.

Para ser criativo, basta haver alguma necessidade ou uma inspiração.

Por exemplo: o brasileiro não é inovadoro brasileiro é criativo. Se a necessidade é comer e o brasileiro não tem dinheiro, ele tem a criatividade de fazer malabarismos com laranjas em esquinas para conseguir dinheiro. O povo brasileiro é reconhecido pela sua grande criatividade, mas apesar disso não conseguiu resolver problemas básicos como o analfabetismo, porque falta deter o conhecimento.

Inovar é gerar valor de qualquer tipo a partir da criatividade, a partir de uma idéia original.

Para ser inovar, basta ter boas idéias e o conhecimento para executá-las.

Por exemplo: o Japão não é criativoo Japão é inovador, porque pega a criatividade dos outros e une ao conhecimento adquirido e gerar valor de qualquer tipo. Para ser inovador é preciso ter acesso à informação e à educação de qualidade.

A criatividade por si só não gera inovação, pois precisa do conhecimento. Aliás, a criatividade não resolve nada sozinha, assim como o conhecimento não resolve nada sem a ação. A criatividade, depois de processada corretamente, vira inovação.

Os Sonhos Moldam Nossa Realidade

googleinstEm 1900, o então presidente do Michigan Savings Bank chegou ao advogado de Henry Ford e o aconselhou a não investir na Ford Motor Company:

“O cavalo está aqui para ficar, porém o automóvel é apenas uma novidade, uma moda passageira”.

Daryl Zanuck, presidente do estúdio 20th Century Fox, comentou, em 1946:

“A televisão não será capaz de manter nenhum mercado que conseguir após os primeiros seis meses. As pessoas logo se cansarão de olhar para uma caixa de madeira compensada toda noite”.

Já o Lorde Kelvin, que não fez vida nada que merecesse comentário, a não ser uma profecia sobre o avião, no longínquo 1885:

Streaming como Alternativa ao P2P

Qual o melhor: P2P ou streaming?

Qual o melhor: P2P ou streaming?

Outro dia, um amigo mandou para o meu Gmail um vídeo de 19MB para divulgar um evento e ainda me pediu para ajudá-lo, passar para frente o arquivo, por e-mail para meus amigos. Depois de me recuperar do susto (rs…) vi que se tratava de um evento beneficente do Dia das Crianças num bairro bastante carente de Goiânia. Resolvi dar uma mão, digo, resolvi emprestar as duas mãos. Com a primeira mão eu peguei o vídeo e publiquei no YouTube e com a segunda mão eu trabalhei no evento.

Dando continuidade ao artigo A Fusão do B2B ao B2C como Processo Evolutivo e ao artigo O que é Cloud Computing, continuarei a dissertar sobre as mudanças no comportamento online, impulsionado pela evolução da infra-estrutura de conexões de Internet, a portabilidade, novos ambientes programação e, principalmente, de novos serviços que tem se aproveitado deste contexto.

O que é Cloud Computing?

HD da IBM em 1956

HD da IBM em 1956

Sobre a foto ao lado você vê um HD prestes a voar sobre as nuvens. Quase 54 anos depois, os HD’s viraram nuvens” Wesley Porfírio

Situação 1: Ai Que Burro!

Fui fazer um back-up para formatar minha máquina utilizando um pen drive de 16GB, mas no meio do processo o Windows travou e perdi todas as fotos.

Situação 2: Pode Morrer!

Uma amiga terminava um trabalho de conclusão de curso e uma descarga elétrica queimou o HD. Os back-up estavam no próprio HD e ela perdeu tudo, inclusive o juízo.

Situação 3: Sobreviveu, pra que? Pode se Matar!

Num assalto, outro amigo ficou sem o laptop com todas as informações dos seus clientes. Eu disse a ele “Calma, use o back-up!”. Mas o incalto não sincronizava o banco de dados a um ano.

A Fusão do B2B ao B2C como Processo Evolutivo

evolucaoCrianças vivem nos surpreendendo. Um dia, quando minha filha tinha apenas 2 anos, mostrei uma pilha de livros e perguntei:

– O que é isso?

– Livros – respondeu sem pestanejar.

– Muito bem, filhinha! – respondi todo orgulhoso, mas continuei, para que ela me dissesse que eram livros de estorinhas infantis – E são livros de…